27 outubro, 2007

Mais um hora...



Espero que essa ideia ridícula da Europa toda ter a mesma hora só seja ideias e que não voltem a tentar.

23 outubro, 2007

Blog Solidário


O Prémio Blog Solidário foi criado por "Bohemia Mar" que o define assim:
Existen muchos premios y galardones con prestigio y solera a lo largo del planeta que se otorgan a personas que hayan resaltado por alguna técnica o actividad.Siguiendo la moda de los premios blogger en la blogosfera, he tenido la idea de hacer uno dedicado a los blogs que destacan o han destacado en alguna ocasión por su solidaridad con los demás, tanto a nivel general como individual. Creo que se merecen una especial distinción y debemos demostrarles nuestro agradecimiento y cariño en este mundo en el que corre mucho egoísmo e indiferencia.Además, gracias a estos blogs solidarios podemos promocionar una vez más la blogosfera.
Las condiciones para otorgarlo son las siguientes:1º Escribir un post mostrando el PREMIO y citar el nombre del blog que te lo regala y enlazarlo al post que te nombra. (De esta manera se podrá seguir la cadena).2º Elegir un mínimo de 7 blogs que creas que se han destacado alguna vez por ayudar, apoyar y compartir. Poner sus nombres y los enlaces a ellos. (Avisarles).3º Opcional. Exhibir el PREMIO con orgullo en tu blog haciendo enlace al post que escribes sobre él y lo otorgas a otros.

Agradeço a Gi , em primeiro lugar, a atribuição deste premio e nomeio os seguintes blogs para tal distinção:

A Minha Matilde & Cª

Contra Capa

Conversamos?!...

Depeco

Frequinha

Luz de Luma



Não resisti...

Porreiro pá



Eu adoro estes políticos, não há duvida.

20 outubro, 2007


"A amizade e a solidariedade na blogosfera são algo de muito profundo e de muito construtivo que temos que desenvolver. Criam-se representações de pessoas que não conhecemos mas que nos deixam o melhor do seu sentir enriquecendo um espaço de debate com as suas visões e as suas críticas. Nada tem valor se não for lido e partilhado."



Agradeço a amizade e simpatia da A Minha Matilde & Cª e por esta distinção e permitam-me premiar outros blogs e os respectivos autores com este prémio.

Pequenos Nadas - Gi

Outras notas - LB

Por Tudo e por Nada - June

Impessoal - SA

Traços e Letras - AJO

Zoo

19 outubro, 2007

Eu quero mama...

Eu gostaria de saber quem teve tal ideia









será que já não chega de violência gratuita???


via:
Desculpe qualquer coisinha

16 outubro, 2007

Hora Absurda

O teu silêncio é uma nau com todas as velas pandas…
Brandas, as brisas brincam nas a, teu sorriso…
E o teu sorriso no teu silêncio é as escadas e as andas
Com que me finjo mais alto e ao pé de qualquer paraíso…

Meu coração é uma ânfora que cai e que se parte…
O teu silêncio recolhe-o e guarda-o, partido, a um canto…
Minha idéia de ti é um cadáver que o mar traz à praia…, e entanto
Tu és a tela irreal em que erro em cor a minha arte…

Abre todas as portas e que o vento varra a idéia
Que temos de que um fumo perfuma de ócio os salões…
Minha alma é uma caverna enchida p’la maré cheia,
E a minha idéia de te sonhar uma caravana de histriões…

Chove ouro baço, mas não no lá-fora…É em mim…Sou a Hora,
E a Hora é de assombros e tôda ela escombros dela…
Na minha atenção há uma viúva pobre que nunca chora…
No meu céu interior nunca houve uma única estrela…

Hoje o céu é pesado como a idéia de nunca chegar a um porto…
A chuva miúda é vazia…A Hora sabe a ter sido…
Não haver qualquer coisa como leitos para as naus!…Absorto
Em se alhear de si, teu olhar é uma praga sem sentido…

Todas as minhas horas são feitas de jaspe negro,
Minhas ânsias todas talhadas num mármore que não há,
Não é alegria nem dor esta dor com que me alegro,
E a minha bondade inversa não é nem boa nem má…

Os feixes dos lictores abriram-se à beira dos caminhos…
Os pendões das vitórias medievais nem chegaram às cruzadas…
Puseram in-fólios úteis entre as pedras das barricadas…
E a erva cresceu nas vias férreas com viços daninhos…

Ah, como esta hora é velha!… E tôdas as naus partiram!
Na praia só um cabo morto e uns restos de vela falam
De longe, das horas do Sul, de onde os nossos sonhos tiram
Aquela angústia de sonhar mais que até para si calam…

O palácio está em ruínas… Dói ver no parque o abandono
Da fonte sem repuxo… Ninguém ergue o olhar da estrada
E sente saudade de si ante aquêle lugar-outono…
Esta paisagem é um manuscrito com a frase mais bela cortada…

A doida partiu todos os candelabros glabros,
Sujou de humano o lago com cartas rasgadas, muitas…
E a minha alma é aquela luz que não mais haverá nos candelabros…
E que querem ao lago aziago minhas ânsias, brisas fortuitas?…

Por que me aflijo e me enfermo?…Deitam-se nuas ao luar
Tôdas as ninfas… Veio o sol e já tinham partido…
O teu silêncio que me embala é a idéia de naufragar,
E a idéia de a tua voz soar a lira dum Apolo fingido…

Já não há caudas de pavões tôdas olhos nos jardins de outrora…
As próprias sombras estão mais tristes…Ainda
Há rastros de vestes de aias (parece) no chão, e ainda chora
Um como que eco de passos pela alameda que eis finda…

Todos os ocasos fundiram-se na minha alma…
As relvas de todos os prados foram frescas sob meus pés frios…
Secou em teu olhar a ideia de te julgares calma,
E eu ver isso em ti é um porto sem navios…

Ergueram-se a um tempo todos os remos…pelo ouro das searas
Passou uma saudade de não serem o mar…Em frente
Ao meu trono de alheamento há gestos com pedras raras…
Minha alma é uma lâmpada que se apagou e ainda está quente…

Ah, e o teu silêncio é um perfil de píncaro ao sol!
Tôdas as princesas sentiram o seio oprimido…
Da última janela do castelo só um girassol
Se vê, e o sonhar que há outros põe brumas no nosso sentido…

Sermos, e não sermos mais!… Ó leões nascidos na jaula!…
Repique de sinos para além, no Outro Vale… Perto?…
Arde o colégio e uma criança ficou fechada na aula…
Por que não há de ser o Norte e Sul?… O que está descoberto?…

E eu deliro… De repente pauso no que penso…Fito-te…
E o teu silêncio é uma cegueira minha…Fito-te e sonho…
Há coisas rubras e cobras no modo como medito-te,
E a tua ideia sabe à lembrança de um sabor de medonho…

Para que não ter por ti desprezo? Por que não perdê-lo?…
Ah, deixa que eu te ignore…O teu silêncio é um leque —
Um leque fechado, um leque que aberto seria tão belo, tão belo,
Mas mais belo é não o abrir, para que a Hora não peque…

Gelaram todas as mãos cruzadas sobre todos os peitos….
Murcharam mais flores do que as que havia no jardim…
O meu amar-te é uma catedral de silêncio eleitos,
E os meus sonhos uma escada sem princípio mas com fim…

Alguém vai entrar pela porta…Sente-se o ar sorrir…
Tecedeiras viúvas gozam as mortalhas de virgens que tecem…
Ah, o teu tédio é uma estátua de uma mulher que há de vir,
O perfume que os crisântemos teriam, se o tivessem…

É preciso destruir o propósito de todas as pontes,
Vestir de alheamento as paisagens de todas as terras,
Endireitar à força a curva dos horizontes,
E gemer por ter de viver, como um ruído brusco de serras…

Há tão pouca gente que ame as paisagens que não existem!…
Saber que continuará a haver o mesmo mundo amanhã — como nos desalegra!…

Que o meu ouvir o teu silêncio não seja nuvens que atristem
O teu sorriso, anjo exilado, e o teu tédio, auréola negra…

Suave, como ter mãe e irmãs, a tarde rica desce…
Não chove já, e o vasto céu é um grande sorriso imperfeito…
A minha consciência de ter consciência de ti é uma prece,
E o meu saber-te a sorrir é uma flor murcha a meu peito…

Ah, se fôssemos duas figuras num longínquo vitral!…
Ah, se fôssemos as duas cores de uma bandeira de glória!…
Estátua acéfala posta a um canto, poeirenta pia baptismal,
Pendão de vencidos tendo escrito ao centro este lema — Vitória!

O que é que me tortura?… Se até a tua face calma
Só me enche de tédios e de ópios de ócios medonhos…
Não sei…Eu sou um doido que estranha a sua própria alma…
Eu fui amado em efígie num país para além dos sonhos…

Fernando Pessoa

15 outubro, 2007

Dia de Ação dos Blogs - Meio Ambiente

Podia escrever, escrever e escrever mas os factos falam por si só. Todas as alterações climáticas que temos presenciado nestes últimos tempos dão muito que pensar.





Blog Action Day Bloggers Unite - Blog Action Day

12 outubro, 2007

Nobel da Paz










Nobel da Paz para Al Gore e Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (Publico.pt)


A academia sueca atribui o Prémio Nobel da Paz a uma verdade inconveniente , uma verdade que ninguém deve descurar, uma verdade que é de todos e que todos devemos tentar solucionar.

11 outubro, 2007

Perdi o dia interiro

Perdi o dia inteiro de escolas para escolas.

Fala-se da autonomia das escolas mas não deixa de ser uma farsa.
Uma farsa para enganar o Zé.
Turmas problemáticas com muitos alunos,
professores que fazem mais de 200 km por dia,
horários duplo de tarde.
Excesso de tempo na sala de aula.
Falta de pessoal auxiliar.
E o aluno que resista a tudo isto.

É difícil ter sucesso nestas condições. E qual a solução?
Reduz-se os objectivos mínimos para uns mini-mínimos.
Volta-se a enganar o Zé.

Mas ninguém quer falar disto abertamente.
O que me levou a ter de ouvir vários responsáveis e ler entre linhas, decidindo na hora, no momento, na confusão de desculpas, pela transferência da minha pequenina para outra escola.

Não que eu pudesse ter queixa do que estava a acontecer, de estar insatisfeita com os órgãos de gestão, não, nada disso. Foram de uma simpatia e disponibilidade ímpar, só que não podiam fazer melhor.
Contra factos não há argumentos, e optei por solucionar o meu problema da forma mais simples, transferência de escola enquanto é possível.
A minha pequenina chorou, já tinha feito amizades novas mas, amanhã será um novo dia.

E lá ficou o problema por resolver nas mãos de mais de 25 encarregados de educação e órgãos de gestão mas, da forma como a burocracia funciona no nosso pais e principalmente nos nosso ministérios, o problema vai-se arrastar e arrastar, e quando chegar a solução, não é viável, mas é aquela que o senhor ministro quer.

Menos professores, mais alunos e sucesso escolar.

Não vejo como é que estes ingredientes permitem um ensino mais personalizado e orientado para cada aluno.

Milagres!!!

Deve estar a brincar. Só pode!!!!!

Tanta publicidade sobre o ensino e a realidade nas escolas é tão diferente.
As necessidades delas não são os computadores e quadros electrónicos.

São mais básicas que isso, muito mais.

09 outubro, 2007

Nobel da Física - 2007

Peter Grunberg e Albert Fert galardoados com o Nobel da Física.

A Academia Real Sueca das Ciências decidiu entregar o Nobel da Física de 2007 a Albert Fert, 68 anos, da Université Paris-Sud, Orsay, França, e a Peter Grunberg, 69 anos, do centro de investigação Forschungszentrum Julich, Alemanha, pela descoberta da "magnetorresistência gigante".

Foi distinguida a tecnologia utilizada para ler dados no disco rígido. É graças a esta tecnologia que, nos últimos anos, tem sido possível reduzir o tamanho dos discos rígidos de aparelhos electrónicos como os computadores portáteis, explica a organização do Nobel, em comunicado.

A “magnetorresistência gigante” (GMR, sigla em inglês) foi descoberta em 1988 por Fert e Grunberg, em investigações separadas.
(Publico.pt)

08 outubro, 2007

5 RAZÕES...

05 outubro, 2007

Visual Poetry - ImageChef.com

04 outubro, 2007

Óbvio ou insólito


"Nenhuma nação, nenhuma religião, nenhum sistema económico, nenhum corpo de conhecimento pode oferecer todas as respostas ... Devem certamente existir sistemas que funcionem muito melhor do que qualquer um daqueles que existem. Conforme a boa tradição científica, a nossa tarefa é descobri-los.
... Sem dúvida, a ciência não é perfeita e pode ser mal utilizada, mas é de longe o melhor instrumento que possuímos, que se corrige a si-próprio, que progride sem cessar, que se aplica a tudo. Obedece a duas regras fundamentais:
- a primeira, não existe verdades sagradas, todas as asserções devem ser cuidadosamente examinadas com espírito crítico, os argumentos de autoridade não têm valor;
- e segunda, tudo aquilo que esteja em contradição com os factos tem de ser afastado ou revisto.
... Por vezes, o óbvio está errado e o insólito é verdadeiro."

in Cosmos, Carl Sagan

03 outubro, 2007

01 outubro, 2007